Tudo o que eu fui avança comigo, em mim.
Para saber, constatar quem somos, basta que se observe o que fizemos ou fazemos de nossas vidas. Os fatos e atitudes confirmam.
O dito, é propaganda que passa na rua domingo de manhã, no máximo incomoda.

Tudo o que eu fui avança comigo, em mim.
Sou tantas que mal consigo me organizar, tenho que levantar a mão para me falar e me escutar. Tenho meus próprios pesadelos e não admito que ninguém me acorde!
Cada um com seu pesadelo e sonho, e divide-se apenas o que se quer.

Gosto de gente que flui… nos dias, na vida, nos problemas nos risos.
Que não empaca na fase, não emperra a tecla, não risca o disco.
Se não dá para tirarmos a pedra do caminho, que a pulemos!
Temos compromissos mais importantes com a vida, com nós, com o que está depois da pedra.

Respeite o sagrado que há em cada um, que há em você.
Se a porta não está aberta, não fica forçando maçaneta, caramba.
Se não recebeu um “entre” não meta o bedelho, o fuço, a palavra.
Pior que pedra no caminho é gente chata, que faz zumbido.
 
Tudo o que eu fui avança comigo, em mim.
Dramatize só se for as coisas boas, o gozo, exploda no presente,
não tenho mais idade conceitual para mimimi.

Dizem, algumas más bocas, que a mulher vem da escuridão.
E eu digo é claro! Claro!
Só há um erro sequencial na história, mas é fácil de entender:

Ela não vem da escuridão, acontece que, de onde ela sai ou o espaço que a perde, escurece, perde a vida. Ela não espalha a escuridão, o escuro é onde ela não está, aquilo que fica para traz.

Vai, anda! Caminhe e vença todas as casas por onde eu passei por esse jogo da vida, acumule meus pontos e bônus, depois, talvez, você possa falar um A sobre mim. Mas só o A, o resto do alfabeto também é desnecessário, use-o para escrever sua própria história.

Adoro dias cinzentos, detesto sol o tempo todo. Me desidrata.
Ajo como um homem, sinto como uma mulher e ando tentando aprender a pensar como uma criança. Não me candidato a vítima, passo esse papel e confesso que ando pensando seriamente sobre a parte que me dói, não posso mais mostrar, dividir, abrir para ninguém, não mais, a parte que me dói é a mais recheada, mereço ela só para mim.

Sou definida pelas minhas ações, por isso, tenho o direito de ser autoritária quanto ao que decido, como vivo ou no que acredito.
Meu coração foi feito para aguentar coisa grande, coisa pequena me incomoda, da mesma forma que o rato incomoda o elefante.

Sou um verdadeiro desastre quando se trata de expectativa.
Prefiro surpresa do que espera.
Moro, eu e as muitas de mim, juntas, na mesma morada do eu.
Peça para eu mudar o que trago incrustado em minha morada só para agradar algum mero visitante e estrague o humor de todas nós, que são feitas de mim.
Tudo o que eu fui avança comigo, em mim.

Aproveite seu dia, seu sol, sua vida e vá mandar em um gato, ou aconselhar o seu espelho.
Visite-me, somos boas anfitriãs! Aqui em mim, há mães, amigas, conselheiras, guerreiras, loucas, palhaças, filosofas, artistas e até contadoras de histórias.

Visite-me, dou água e café, te dou até algumas de mim.
Entretanto, folgue, e te afogamos.
Tudo o que eu fui avança comigo, em mim.

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: